Serenidade à beira-mar e Pérgamo antiga

A visão de Dikili ao aproximar-se pelo mar é incomparável, pois as águas azul-turquesa dão lugar a uma visão de praias de areia dourada à beira de uma linda baía, e ainda descortinam paisagens verdes encantadas logo à frente. Dikili é um dos destinos tradicionais de férias da grande cidade portuária turca de Izmir, um tranquilo refúgio de verão com suas pequenas aldeias, restaurantes de frutos do mar, as paisagens cênicas da aldeia à beira-mar de Bademli ao Sul, as águas termais e ainda uma cachoeira em Nebiler, no Kemente Plateau. E você pode ainda afastar-se deste belíssimo trecho litorâneo, pois Dikili é também um ótimo ponto de partida para as gloriosas ruínas de Pérgamo, uma das antigas cidades gregas da Ásia Menor mais belas e significativas e hoje Patrimônio Mundial da UNESCO. Pérgamo abriga alguns dos sítios arqueológicos mais significativos não só na Turquia, mas de toda a região mediterrânea.

Consulte Mais informação

Ver todos os cruzeiros para Dikili

Pérgamo

Com Troia ao Norte e Éfeso ao Sul, a clássica cidade antiga de Pérgamo localiza-se a cerca de 26 quilômetros rumo ao interior a partir do Mar Egeu, num promontório que se ergue sobre a moderna cidade turca de Bergama. Devido à sua localização estratégica, a cidade foi reconstruída várias vezes ao longo da antiguidade, mas teve seu auge no período helenístico, no século II a.C., depois de Alexandre, o Grande ter conquistado Pérgamo do domínio persa. Como Reino de Pérgamo sob a Dinastia Atálida que sucedeu, a cidade se tornou um centro de cultura, saúde e artes e foi descrita como “a mais famosa e magnífica cidade da Ásia Menor” por Plinius Secundus, autor e filósofo do século I d.C. Por um período, a cidade teve a maior biblioteca do mundo e um próspero comércio de pergaminho (a palavra na verdade vem do nome Pérgamo) e esculturas espetaculares deslumbravam tanto os locais como os viajantes de outrora. Embora existam vestígios de diferentes épocas, as ruínas mais espetaculares datam do reinado do governante atálida Eumenes II, que supervisionou obras como a Biblioteca de Pérgamo e o Altar de Zeus durante o seu reinado, de 197 a 159 a.C. O sítio amplo tem cerca de 81 hectares centrado em uma acrópole que se eleva a quase 335 metros. Há também ruínas da cidade baixa e do famoso santuário de cura Asklepion.

Acrópole Superior

A principal atração da Acrópole Superior de Pérgamo (que tinha a intenção de competir com a Acrópole de Atenas) é hoje, sem dúvida, o antigo teatro helenístico, esculpido na encosta e que com 36 metros de altura é o teatro mais íngreme do mundo antigo: a vista imponente daqui deve ter roubado a atenção de todos os shows. O teatro acomodava mais de 10.000 pessoas em 83 fileiras e se olhar com atenção, ainda é possível ver os buracos onde se fixavam as colunas do conjunto portátil de madeira do teatro. Ao norte do Terraço do Teatro estão as ruínas do Templo de Dionísio, deus do vinho e das apresentações teatrais. O Templo de Atena é originalmente do século IV a.C., mas foi modificado por Eumenes II por volta de 170 a.C. Em um terraço abaixo ficava o grande Altar de Zeus, um templo monumental que levou 20 anos para ser construído e que podia ser visto por quilômetros. Os famosos relevos altos de mármore retratando uma batalha épica entre os deuses e os gigantes está protegido do sol do Egeu no interior do Museu Pergamon de Berlim desde o início dos anos 1900, mas você ainda pode observar as impressionantes fundações do altar em forma de ferradura. Curiosamente, quando o Apóstolo João listou a Igreja de Pérgamo como uma das Sete Igrejas da Revelação, ele pode ter se referido ao altar como o “trono do diabo” por causa do seu tamanho massivo.

Ainda na acrópole você encontrará o Templo de Deméter, que foi construído por Philetaerus, o fundador da Dinastia Atálida e ampliado por Apolônia, a esposa de Attalus II. Depois há a grande área do ginásio, em três terraços. A escadaria que conecta um andar ao outro é um exemplo notavelmente bem preservado de construção de abóbadas e arcos. Temos aqui também as ruínas do Santuário de Hera. A acrópole era principalmente reservada à realeza, por isso é fascinante andar na rua principal que ligava a acrópole à parte comercial da cidade, outrora repleta de lojas e armazéns. Repare nas marcas das rodas das carruagens nos calçamentos em mármore! O reconstruído Templo de Trajano, por acaso, é a única ruína romana antiga em Pergamon.

O Asklepion

As ruínas do célebre santuário de saúde e cura de Asklepion estão aos pés da acrópole, a cerca de três quilômetros ao sul do promontório. O Asklepion de Pérgamo (também chamado Asclepieon) era renomado no mundo antigo; Asclepius era o filho mítico de Apolo e um deus da medicina e da cura. Os “doutores” no santuário eram na verdade os sacerdotes, que curavam os pacientes com uma combinação de banhos termais, dietas especiais, exercícios e música. Escavações datam a construção do complexo do templo no século IV a.C., mas ele se destacou principalmente durante o período romano, graças aos esforços de Adriano, que acrescentou o Caminho Sagrado, que levou ao portão de entrada do Asklepion, ou Propylon. Atrás dele ficava o templo circular principal (outrora com uma cúpula como o Panteão em Roma) e salas para massagens e banhos de lama, além de um trio de fontes, todas ligadas por pórticos ornamentados. Havia também um teatro que comportava 3.500 espectadores. Um dos elementos mais fascinantes do Asklepion é o Túnel Sagrado, uma passagem de 81 metros de comprimento que leva do centro do santuário a um misterioso edifício de tijolos redondo de dois andares da era romana, uma época em que o proeminente médico Galeno trabalhava em Pérgamo. Alguns acreditam que o túnel, que era rodeado de santuários para outros deuses de cura como Hygiea e Apolo, ajudava a induzir sonhos de Esculápio, cuja aparição no sonho de um paciente poderia então ser interpretada pelos sacerdotes residentes para ajudar a orientar o processo de cura.

A Basílica Vermelha

A Basílica Vermelha, construída no século II pelos romanos como um enorme templo aos deuses egípcios Serapis, Ísis e Harpocrates é uma das maiores estruturas antigas que permaneceram até hoje. Localizada a cerca de um quilômetro ao sul da acrópole de Pérgamo, seu complexo incluía um edifício principal, duas torres redondas, um amplo temenos ou área sagrada, e túneis e câmaras subterrâneos. Era tão grande que os primeiros cristãos de Pérgamo na verdade construíram uma basílica dentro dela, em vez de converter todo o edifício em uma igreja. A ponte de Pérgamo, em um pátio da seção do Templo de Ísis, foi projetada durante o reino do Imperador romano Adriano e está intacta até hoje.

Nossos melhores cruzeiros

Começando de
$1019
7 Noites

Saída 16 October 2021

Cruzeiro de 7 noites Passos de São Paulo

Começando de
$729
7 Noites

Saída 4 December 2021

Cruzeiro de 7 noites Três Continentes

Começando de
$729
7 Noites

Saída 23 September 2021

Cruzeiro de 7 noites Egeu Eclético

Começando de
$499
4 Noites

Saída 15 March 2021

Cruzeiro de 4 noites Egeu Icônico

Começando de
$489
3 Noites

Saída 29 October 2021

Cruzeiro de 3 noites Descoberta Icônica

Começando de
$599
4 Noites

Saída 8 November 2021

Cruzeiro de 4 noites Descoberta Icônica

Começando de
$729
7 Noites

Saída 24 April 2021

Cruzeiro de 7 noites Egeu Idílico

Começando de
$489
3 Noites

Saída 24 April 2021

Cruzeiro de 3 noites Egeu Icônico